Mecânica da Kombi

Postado por

Com o carro já na oficina sendo restaurada, precisamos que a Mecânica, que é parte do processo, acontecesse simultaneamente com a restauração, assim tudo ficaria pronto ao mesmo tempo.

Queríamos participar do processo e conhecer tudo mais de perto, para que se um dia precisássemos conserta algo no meio do caminho, nós já teríamos mexido pelo menos uma vez na vida no motor e nos periféricos do motor da Kombi.Como nunca tinha feito nada de mecânica não poderia fazer sozinho.

Uma coisa que já aprendemos é que não se faz nada sozinho nessa vida. Lá mesmo na oficina contei com o apoio de um dos funcionários que colocou a mão na graxa junto comigo. Trocamos a maioria dos itens para não ter problemas na estrada.

O primeiro passo dessa segunda etapa foi tirar as rodas dianteiras e retirar o eixo inteiro. Depois de retirado, desmontamos e levamos o eixo para lavar com água quente. Só que o eixo é muito pesado e ainda por cima não conseguiria leva-lo no nosso carro, então tivemos que conseguir um reboque emprestado para ir até a lavação e ter a peça limpa e desengordurada para poder pinta-lá.

Uma coisa que aprendemos na prática, pela falta de experiência, na reforma de carros antigos é: faça os embuxamentos do eixo antes de monta e pintar, isso facilita na hora de alinhar o carro e poupa um tempo. No nosso caso após tudo montado e a kombi praticamente pronta, chegamos para colocar as rodas e pneus novos e tivemos que voltar, ir ao torno mecânico para fazer os embuxamentos e só depois colocar rodas, pneus e alinhar tudo.

No eixo dianteiro trocamos discos de freios, o hidrovacúo, flexíveis e caninhos do freio, pastilhas, rolamento das rodas, trocamos todos os amortecedores inclusive o da direção e até os reparos das pinças do freio foram trocadas. Na parte traseira trocamos os amortecedores, cilindros de rodas, os caninhos foram substituídos, o semi-eixo foi retirado limpo engraxado e os parafusos foram substituídos por parafusos novos, só as lonas de freios que estão boas que optamos por não trocar.

O motor de arranque também foi retirado e revisado na auto elétrica e a caixa de câmbio após retirada levamos para a Câmbio Car, onde o Neomar outro grande parceiro e amigo, disse que iria cuidar de tudo. Abrir e revisar engrenagem por engrenagem para evitar dor de cabeça durante a viagem.

WP_20140627_007

Com tudo isso temos hoje um motor novinho em folha, preparado para rodar a América do Sul.

O motor foi retirado e trocamos: bronzinas de biela, bronzina de mancal, bucha de comando, bucha de biela, distribuidor, interruptor, retentores, manguiras, bomba de óleo, kit de embreagem, correia do alternador, novos cabeçotes, comando de válvulas, tucho de válvulas, carburador, virabrequim, engrenagem do virabrequim, filtro do combustível, parafusos, braçadeiras, além de pintar a lata do motor e a lata do filtro de ar.

Tudo isso aconteceu enquanto a carroceira da kombi estava sendo restaurada e quando a carroceira foi para a Carbat tudo estava pronto para ser instalado. Durante nossa vida já tivemos cheiro de muita coisa, já tivemos cheiro de cozinha de restaurante, de balão, de bala, agora foi a vez do cheirinho de graxa.

Se você leu esse post e conseguiu:

  • Se sentir a dentro de nossa Kombinet vivendo essa história com a gente;
  • Alguma dessas informações te foi útil
  • Se inspirar a fazer alguma coisa
Então clica no botão ao lado e nos faz uma doação. 

 

Blog Post Location

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *