Destino: Ushuaia, o fim do mundo !

Postado por

Destino: Ushuaia, o fim do mundo!

Destino-Ushuaia-1

Cruzamos o portal de entrada, chegamos no fim do mundo!

Esse post tem que começar pelo final, pelo momento em que cruzamos a entrada daquela cidade que tanto queríamos chegar, Ushuaia. Apenas ver o portal, já fez com que uma imensa mistura de sentimento nos invadisse, era realização, satisfação, orgulho, conquista, alegria e muitos outros sentimentos.

Chorar foi inevitável, gritar também. Tinhamos que extravasar toda a emoção. Olhávamos para trás e víamos tudo que havíamos percorrido para alcançar nosso Objetivo, chegar de Kombi no Fim do Mundo, chegar com nossa casa, com nossa querida Kombinet
Destino-Ushuaia-2Ushuaia foi um objetivo muito grande, desde que começamos a planejar essa viagem, chegar ali é chegar no ponto mais austral do Mundo, é a cidade mais ao sul. Do Ushuaia só se pode descer mais, se você for de
barco.

Chegar lá é chegar ao final de uma estrada que começou em Buenos Aires. Foram mais de 3600km andando na famosa Ruta 3. Não foi fácil chegar, levamos mais de 5 dias desde que saímos de Puerto Madryn e quase 3 meses de viagem.

Destino-Ushuaia-3Partimos de Madryn rumo ao Ushuaia depois do almoço, determinados a dirigir bastante, pelo menos até anoitecer. Na Patagônia Argentina, a vegetação é muito desértica, além disso as estradas são retas intermináveis.

As pessoas falam que as estradas por aí são chatas e você chega a sentir falta de curvas e é verdade. São km e km de retas, mas o que mais nos chamou atenção é que também são km e km sem nada pelo caminho, nenhum restaurante, casa ou qualquer tipo de comércio.

Nessa região tem que sempre estar de olho no ponteiro de gasolina, existe apenas um posto entre Puerto Madryn e Comodoro Rivadavia, um pouco depois do meio do caminho de um total de 450km. Parar e abastecer em todos os postos é muito importante, se você dirigi um carro com baixa autonomia como a Kombi. Como sabíamos que era o único posto resolvemos dormir por ali. Junto do posto tem um Hotel, muito gentilmente eles nos cederam uma ducha e dormimos limpinhos.

Almoçamos em Caleta Olivia e quando vimos tinhamos companhia, um monte de lobos marinhos nos fazendo companhia.

Almoçamos em Caleta Olivia e quando vimos tinhamos companhia, um monte de lobos marinhos, hoje com certeza o almoço iria ser diferente.

Jantamos ali mesmo no posto de gasolina onde passamos a noite.

Jantamos ali mesmo no posto de gasolina onde passamos a noite.

Na manhã seguinte levantamos e tocamos para Comodoro Rivadavia, passamos em um mercado nos reabastecemos e seguimos. Depois de mais algumas horas resolvemos parar para Fazer almoço. Estávamos na costa em Caleta Olivia e ali a beira do Mar ao lado de lobos marinhos, cozinhamos e almoçamos.

Limpamos tudo e seguimos viagem não podíamos nos demorar muito. Muitos e muitos km a 60km/h. Guanacos, Ñandus, mais Guanacos, mais Ñandus e mais muitos km de retas. Tomamos litros de Mate e comemos muito Amendoim, depois de muito tempo sem ver nenhum sinal de civilização um posto de gasolina, em um lugar chamado Três Cerros.

Confraternizando no posto de gasolina antes de seguir nosso destino.

Confraternizando no posto de gasolina antes de seguir nosso destino.

Alí paramos cozinhamos e dormimos. No outro dia depois de uma confraternização com os “vizinhos”, outros viajantes que também param ali para

dormir, seguimos viagem. A primeira parada foi Puerto San Julian, para chegar a orla era muito perto, e ali poderíamos fazer nosso almoço. Existem muitos passeios para se fazer, mas queríamos chegar no Ushuaia. Assim, seguimos.

O primeiro de muitos encontros!

O primeiro de muitos encontros!

Em San Jualian foi a primeira vez que vimos os Austríacos, paramos ao lado de uma super casa rodante, verde e marrom, toda a parte da casa era feita de madeira, em forma de Barril. Viajavam os dois e Chili um pastor alemão de 3 anos. Eles só falavam inglês e nós naquele inglês bem, mas bem meia boca conseguimos nos comunicar com eles mal e porcamente.

Nesse ponto da viagem tivemos que pular um lugar muito importante Puerto Deseado, onde estão as Toninas, os pinguíns com pelugem amarela, mas depois de ter gastado mais que imaginávamos com o conserto da kombinet nosso destino era Ushuaia. Era inviável andar 200km só para conhecer Porto Deseado. Assim, com o coração na mão seguimos.

E ao final do dia estávamos muito cansados. Faltavam como 100 km até Rio Gallego fronteira da Argentina com Chile. Decidimos seguir e dormir lá a beira do passo. Quando chegamos vimos um posto de Gasolina e lá poderíamos dormir. Mas tinhamos muita fome e nenhuma vontade de cozinhar. Haviam sido muitas horas de viagem e resolvemos que merecíamos comer um lanche naquele posto, que parecia bem bom na propaganda. Pedimos no caixa e fomos sentar.

Esse dia acordamos em um posto novamente, mas agora com a companhia de Franco nossa nova companhia por alguns dias.

Esse dia acordamos em um posto novamente, mas agora com a companhia de Franco nossa nova companhia por alguns dias.

Ao lado de nossa mesa um mochileiro com malabares, meio dormindo e meio acordado. Era Franco um Argentino de Temperley. Conversamos e como ele disse que esperava um carona de um caminhão, ficou acertado que se o tal caminhão não aparecesse daríamos carona para ele. Nesse dia não sabíamos mas Franco seria nosso caroneiro por mais uma semana.

Conversamos, tomamos Fernet com Coca, aprendemos a jogar Truco Argentino e lá pelas 3 fomos dormir. No outro dia a carona de Franco, não apareceu. Seguimos os três rumo ao Ushuaia. Foram mais de 3 dias de viagem até chegar realmente ao nosso destino.

Uma fogueira para aquecer a noite fria de Toluim.

Uma fogueira para aquecer a noite fria de Toluim.

Dormimos ainda em uma cidade chamada Cerro Sombreiro após atravessar o Estreito de Magalhões, essa cidade fica no meio da parte Chilena da Terra del Fuego, no outro dia viajamos até Toluim, que já é na Argentina, foi ai que dormimos.

Quando você vai de carro para o Ushuaia, tem que sim ou sim que passar por muitas fronteiras. Por uma questão de uma guerra por território entre Chile e Argentina o mapa ficou dessa maneira. Foram várias aduanas, horas parados, filas e mais filas. Foram tantas as histórias vividas que resolvemos fazer um post a parte.

Mas por fim, depois de 5 dia chegamos no Ushuaia, e não foi nem perto do que imaginávamos. Foi melhor, foi incrível, na hora em que entravamos no Ushuaia Franco nos disse: “Vocês estão realizando o sonho de todo Hippie, Mochileiro ou Viajante, chegar no Ushuaia e ainda por cima de Kombi.” Você está certo Franco, realizamos o sonho de muita gente, mas principalmente o nosso.

Seguimos gritando, buzinando e fazendo festa, nesse lugar que queríamos tanto conhecer. Fomos direto ao fim da estrada onde diziam que ficava a placa, mas descobrimos que estava em um Parque Nacional e era tarde, assim

resolvemos buscar agora o que era caso de necessidade básica: Um Banho. Depois de quase 5 dias e muita estrada era tudo o que precisávamos, um Banho no Fim do Mundo.

Veja a Galeria de Fotos aqui!

Se você leu esse post e conseguiu:

  • Se sentir a dentro de nossa Kombinet vivendo essa história com a gente;
  • Alguma dessas informações te foi útil
  • Se inspirar a fazer alguma coisa
Então clica no botão ao lado e nos faz uma doação. 

 

Blog Post Location

Comentários 2

  1. Encontrei vocês em ushuaia, em uma pequena conversa de fim de tarde, aprendi muito com a experiência dos dois, só tenho a agradecer! Muito bom saber um pouco mais da história que fez vocês chegarem lá! Sou muito fã de vocês!

    1. Dai Alisson lembramos sim daquela tarde, bons momentos apesar de estar frios. Nós sempre aprendemos muito também com todos que conhecemos. Afinal de contas são as pessoas que fazem as lembranças. Sorte em teus projetos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *