Estorrou a Correia em Curicó

Postado por

Estávamos viajando sentido litoral, já fazia muito tempo que não sentimos aquele cheiro gostoso da maresia, não estava tão longe e imaginávamos que não iríamos demorar tanto a chegar. Mas isso era só o que imaginávamos.

Depois que saímos de Temuco estávamos determinados a chegar o quanto antes, mas então vimos a luz do alternador acender, paramos e fomos direto abrir a tampa do motor, uma nuvem de fumaça saiu e ai vimos a correia do alternador havia rompido e provavelmente havíamos andado alguns metros assim.

estorou-a-correa-02Na melhor das hipóteses era trocar a correia por uma das duas que levávamos de reserva e trocar o óleo, ou na pior o motor haveria fundido. Tiramos a caixa de ferramentas para fora e começamos , colocamos a correia nova no lugar, não havia como trocar o óleo, esperamos o motor esfriar e funcionou de primeira.

Seguimos, paramos conferimos o motor e tudo certo, agota é trocar o óleo. Conseguimos mais a frente em um posto, mas o responsável pela oficina havia saído e por isso não poderíamos usar a rampa do posto.

estorou-a-correa-03Fazer o que, o negócio foi cortar algumas garrafas e fazer a troca ali mesmo. Depois de tudo certo partimos. A frente vimos uma Coopec (as Coopec são estações de Gasolina super legais, lá da para dormir, se ducha, ou seja, tudo de bom para quem está na estrada) e paramos.

Aproveitamos a pausa para olhar novamente o motor e aparentemente tudo certo. Dormimos por ali mesmo. No outro dia aproveitamos para vender Postais, e são esses pequenos contratempos como a correa e parar para trabalhar em algum lugar te brindam bons momentos.

estorou-a-correa-07estorou-a-correa-06estorou-a-correa-04estorou-a-correa-05

E com toda essa função conhecemos Élvis e sua familia, que mais tarde na estrada nos cruzou e com um sinal nos pediu para parar. Nos convidaram a almoçar e nós fomos. Nessa viagem aceitamos sempre convites, e esse foi um almoço daqueles, um restaurante de primeira e a companhia mais ainda, foi tudo tão bom que o almoço se estendeu para um cafezinho e acabamos saindo para viajar mesmo quase cinco da tarde.

Ainda estávamos meio preocupados com a correia, então sempre parávamos a Kombi de tempos em tempos para ver se estava tudo certo e numa dessas paradas vimos que a correia havia torcido. Como ainda tinhamos uma correia de reserva decidimos trocar novamente, mas infelizmentenão resolveu.

estorou-a-correa-01

A cidade que poderia ter algum tipo de peça para reposição havia ficado para trás, se quiséssemos voltar para ela teríamos que andar 20 km para frente, pois só aí teria um retorno, se arriscássemos seguir poderiamos ter que ficar na estrada.

Resolvemos voltar para Curico, nesse pequeno trecho a correia virava a cada 5 km e por fim arrebentou. Ainda tinhamos uma que estava torta mas mesmo assim era uma correia, colocamos ela no alternador e voltamos a andar.

estorou-a-correa-10Rodamos menos de 5 km e ela virou também. Resolvemos ir até onde ela aguentasse, mesmo que virasse não havia o que fazermos alí no meio da estrada. Tinhamos que chegar em Curico. Depois de poucos quilômetros e muitas paradas chegamos, um posto bem na entrada da cidade, e ali passamos a noite.

Quando chegamos o último raio de sol se escondia. Descidimos não nos abater e fazer um bom jantar, aproveitar a wi-fi do posto e assistir a um filme, ainda tocamos uma viola e só no outro dia é que pensamos como resolver e qual poderia ser o problema.

Conseguimos comprar uma correa nova e descobrimos que havíamos trazido duas correias que eram finas demais. Por tudo isso conhecemos várias pessoais legais, dentre elas o Ismael que é dono de uma fazenda de Gado e que nos convidou a conhecer seu trabalho.

Curicó se mostrou uma cidade linda, com uma montanha onde se podia ver toda a cidade, no fim, ficamos bem contentes pela correia ter rompido, por não ter conferido a peça, pois sem isso não estaríamos ali e perderíamos essa oportunidade

estorou-a-correa-12

O que era um problema se tornou uma oportunidade, como sempre, a questão nunca será o problema e sim como você lida com ele.

Se você leu esse post e conseguiu:

  • Se sentir a dentro de nossa Kombinet vivendo essa história com a gente;
  • Alguma dessas informações te foi útil
  • Se inspirar a fazer alguma coisa
Então clica no botão ao lado e nos faz uma doação. 

 

Blog Post Location

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *